terça-feira, 25 de agosto de 2015

Psicomotricidade e a sua relação com as Inteligências Corporal-Cinestésica e Pessoais (Interpessoal e Intrapessoal)


Psicomotricidade e a sua relação com as Inteligências Corporal-Cinestésica e Pessoais (Interpessoal e Intrapessoal)

Por Jacira C. da Costa

         Atualmente, podemos perceber que o maior inimigo da década será o hábito exagerado de ficar sentado na frente da televisão ou apenas no passatempo com jogos eletrônicos (Tablets, smartphones, iphones, celulares, etc.) fazendo com que as crianças se tornem cada vez mais sedentárias e se afastem cada vez mais das quadras, dos parques, das praias, das bolas, dos bambolês, das petecas, das corridas ao ar livre, entre outros objetos, eventos ou ambientes sociais essenciais ao desenvolvimento da harmonia corporal.


Foto (Fonte): http://br.guiainfantil.com/uploads/Saude/leses-em-crianas-tablets-smartphones_A.jpg

            Alguns estudos nos apontam que a inteligência é um potencial biológico e psicológico que pode se realizar em consequência de fatores culturais e motivacionais que afetam a pessoa, cuja capacidade implica em resolver problemas, elaborar ou criar produtos que são importantes para um determinado ambiente ou comunidade cultural. Essas inteligências seriam grandes ferramentas para a aprendizagem e de cunho significativo na vida dentro de um ou mais ambientes culturais. No caso da inteligência corporal-cinestésica, esta se utilizaria através do corpo (peso e posição dos membros musculares, por exemplo) e seus movimentos, para cumprir propósitos de comunicação expressiva, mostrando habilidade em seu controle, destreza e harmonia em sua utilização. Diversos fatores ligados ao desenvolvimento motor, tais como a  flexibilidade (ligados ao tônus, a imagem e ao esquema corporal), força e resistência(postura e equilíbrio) são notados desde o nascimento, desde que estímulos apropriados sejam recebidos.

        Por sua vez, as Inteligências Pessoais (Intra e Interpessoais) funcionariam de forma combinada e atuariam quase sempre juntas, além de atuarem conjuntamente à Inteligência Corporal-Cinestésica.  No que concerne à inteligência interpessoal, o reconhecimento do outro através da empatia, da comunicação e das relações interpessoais estariam envolvidas na atuação da interação social, cuja ação estaria voltada para a coletividade ou atividades em grupos. A inteligência intrapessoal se concentra na capacidade da pessoa se autoconhecer, saber administrar seus sentimentos e emoções a favor de seus projetos. Significa reconhecer seus próprios limites, aspirações e medos administrando-os de forma eficiente para lidar com o ambiente em que vive. Assim, a possibilidade que a Psicomotricidade poderia proporcionar através de uma vivência corpororal-afetivo-social diferente, desempenharia um importante papel na formação da personalidade da criança, pois quanto mais for diversificada a participação desta nos grupos ou em vivências individuais, maiores serão seus meios de relações sociais, enriquecendo a sua personalidade. O tônus, o equilíbrio, a postura, o esquema e a imagem corporal (Noção do corpo) seriam um dos elementos de ação que traduzem a psicomotricidade atuando pela prática da intervenção nas inteligências pessoais e corporal-cinestésica, convertendo-se, desta maneira, em um elemento indispensável na construção da personalidade da criança, que incluem o autoconhecimento, a automotivação e a autoestima. E aí, que tal? Vamos nos psicomovimentar?


Fonte (foto): http://www.blogmodainfantil.com.br/wp-content/uploads/2014/07/criancas-brincando-na-indonesia.jpg


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

GARDNER, H. Estruturas de Mente: A Teoria das Inteligências Múltiplas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

GARDNER, H. Inteligências Múltiplas: A Teoria na Prática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995 (2000).

LE BOULCH, J. O Desenvolvimento Psicomotor: Do Nascimento aos 6 anos (A Psicocinética na Idaade Pré-Escolar). 7ª Ed.- Porto Alegre: Artes Médicas, 1982 (2001).

LE BOULCH, J. A Educação Psicomotora: a Psicocinética na idade escolar. 2ª ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1987 (1998).


Foto (fonte):Esse pé é meu (By Casa do Brincar)

Nenhum comentário:

Postar um comentário